Dólar opera em alta após decisão sobre Selic

O dólar opera em alta frente ao real nesta quinta-feira (17), após o Banco Central manter a Selic em 11% na véspera e deixar em aberto o futuro da política monetária, e com o mercado refletindo o ambiente global de aversão ao risco após a imposição de sanções do Ocidente contra a Rússia.

Por volta das 14h40, o dólar era vendido a R$ 2,2429, em alta de 0,93%. 

A alta foi ampliada após a noticia da queda de um avião da Malásia, que poderia ter sido abatido por míssil no espaço aéreo da Ucrânia, intensificando a aversão ao risco que vinha desde o início do pregão.

Na véspera, Estados Unidos e a União Europeia anunciaram sanções mais duras contra a economia russa, afetando empresas importantes como Gazprombank e Rosneft Oil, em retaliação à crise na Ucrânia.

Nesse contexto, investidores evitavam ativos mais arriscados e recorriam a outros considerados mais seguros, como o dólar e o iene.

No Brasil, investidores também aproveitavam para comprar dólares antecipando eventual menor fluxo de entrada de divisas para a economia brasileira, após o Banco Central manter a taxa básica de juros.

Efeito Copom
Como o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC manteve a expressão "neste momento" ao divulgar sua decisão, os especialistas entenderam que todas as possibilidades estão abertas para o futuro da política monetária. No mercado de juros futuros, por exemplo, a curva de DI apontava apostas de menor aumento da Selic em 2015, diante do cenário de atividade mais fraca.

"Uma mudança na expectativa de juros afeta o dólar, porque torna os ativos brasileiros menos atraentes", explicou à Reuters economista da corretora H.Commcor Waldir Kiel.

Pela manhã, a autoridade monetária vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares. Todos os contratos vendidos vencem em 2 de fevereiro de 2015 e têm volume correspondente a US$ 198,8 milhões.

Também foram ofertados swaps para 1º de junho de 2015, masnenhum foi vendido.

Em seguida, vendeu a oferta total de até 7 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em agosto. Ao todo, o BC já rolou cerca de 36% do lote total, que corresponde a US$ 9,457 bilhões.


Fonte: G1.Globo

 



Viegas Auditores e Consultores - www.viegasauditores.com.br | Todos os Direitos Reservados © 2017